A ida ao hospital entrou na rotina de Luigi Sales, 15 anos, e Matheus Marcondes, 17, há pouco mais de um ano. Na última quinta-feira, lá estavam eles novamente. Chegaram vestidos com a camisa do Corinthians, mas nem falaram do transplante de medula óssea que fizeram recentemente. Muito menos do linfoma de Hodgkin, câncer que ambos tiveram. O papo ali combinava com o uniforme que vestiam. Era sobre como seria a visita ao centro de treinamento do Corinthians em algumas horas.

 

Não demorou muito, eles partiram do Hospital Pio XII, em São José dos Campos-SP, em direção ao CT Joaquim Grava, em São Paulo. Quase duas horas depois, já estavam diante dos jogadores que até então só viam pela televisão. Não era preciso nem perguntar se estavam felizes porque os olhos deles já respondiam isso.

 

Durante o treino, Luigi, Matheus e os familiares da dupla acompanharam atentos todos os detalhes. Tudo chamava atenção: "Como o Cássio é grande", "Olha o Danilo, mãe! Olha o Danilo". Frases espontâneas e alegres como essas saíram aos montes. Felicidade maior só quando puderam, ao fim do treino, ficar perto dos atletas e tirar fotos para registrar o dia marcante.

 

danilo do corinthians luigi sales matheus marcondes chv tratamento a

Foto: Danilo Sardinha/Globoesporte.com

 

No fim do dia, Luigi e Matheus disseram que estavam sem palavras para explicar o que sentiam. Mesmo diante das frases curtas, a felicidade era evidente nas entrelinhas.

– É uma coisa inexplicável. Você vê o jogador na sua frente e pensa: “Nossa, ele está na minha frente”. Estou sem palavras – destacou Luigi.

 

– Sensacional. Desde que me lembro por gente, torço para o Corinthians. O que mais gosto na vida é o Corinthians. Conhecer jogadores foi sensacional, sem palavras – acrescentou Matheus.

 

Batalha pela vida

Os surgimentos de um caroço no pescoço de Matheus e outro na testa de Luigi, no segundo semestre do ano passado, marcaram o início da batalha deles contra o linfoma de Hodgkin, câncer que atinge o sistema linfático e ataca a imunidade do corpo. Fizeram tratamento de quimioterapia e a doença sumiu por alguns meses. Porém, voltou a atacar. A tática para vencê-la, então, foi o transplante de medula óssea, realizado em agosto deste ano em Luigi, e em setembro em Matheus.

 

O transplante neles foi o autólogo, quando é utilizada a medula óssea do próprio paciente. Como a quimioterapia é muito forte, a medula óssea é retirada para que ela não seja agredida durante o tratamento contra o linfoma de Hodgkin. Após as sessões de quimio, que eliminam a doença, é feito o transplante da própria medula. Esse tipo de procedimento aumenta bastante as chances de cura do paciente.

 

luigi sales matheus marcondes chv tratamento recebe mensagens no hospital a

Foto: Danilo Sardinha/Globoesporte.com

 

 

Quando recebeu alta do hospital, em setembro, Luigi Sales já foi surpreendido com mensagens em vídeo de jogadores do Corinthians (relembre a reportagem). O hospital tinha entrado em contato com a assessoria de imprensa do Alvinegro e conseguiu os vídeos.

 

Na visita dessa quinta-feira, o processo foi quase o mesmo. A médica Alexandra Callera, que cuida dos dois, entrou contato com o fisioterapeuta do Corinthians, Luciano Rosa, e falou sobre os pacientes. Rosa se sensibilizou com as histórias e fez o convite para conhecerem o centro de treinamento do Corinthians. O hospital disponibilizou o transporte para levá-los ao CT e também mandou uma equipe para acompanhar a visita.

 

Luigi e Matheus destacam a importância de viver dias como esse.

 

– Dá esperança na vida. O tratamento é difícil, mas tudo a vale a pena. Quando a gente vem, tem esses momentos especiais, nos ajuda a continuar, a seguir em frente. É como uma recompensa por tudo que já passei. É uma vitória – comentou Luigi.

 

– É como se fosse uma recompensa. A gente para e pensa: “veio tantas coisas ruins na vida. Quando vão vir as boas?”. Parece que agora estão caindo as coisas boas para gente. Dá uma balanceada. Agora, é descanso e continuar a vida. Os momentos bons são para esquecer os momentos ruins e fortalecer cada vez mais – disse Matheus.

 

Fonte: Globoesporte.com

Leia Também

  • Por que doar sangue? A doação de sangue é um ato altruísta e totalmente voluntário, que pode salvar vidas. Dependem Saiba mais...
  • Pesquisas recentes mostram que a associação da alimentação com o tratamento contra o câncer pode contribuir com a melhora da Saiba mais...
  • A ida ao hospital entrou na rotina de Luigi Sales, 15 anos, e Matheus Marcondes, 17, há pouco mais de Saiba mais...
  • Aplicativo pretende promover alimentação e hábitos saudáveis com foco na prevenção de câncer Com versões para IOS, Android e sistema Saiba mais...
  • 1
  • 2